A serra da Freita faz parte do Maciço da Gralheira, juntamente com a serra da Arada (1.057 metros) e do Arestal (830 metros). Alguns dos seus cumes ultrapassam os 1.000 metros de altura, albergando espécies raras de fauna e flora, algumas em vias de extinção. O coberto vegetal é predominantemente constituído por urze e carqueja e, nas zonas de encosta, por pinheiros, carvalhos, medronheiros e azevinho. Para além do rio Caima, nascem nesta serra múltiplos ribeiros que desaguam nos rios Paiva e Arda. Na sua vasta extensão encontram-se 17 dos 41 geossítios do Arouca Geopark, nomeadamente a Frecha da Mizarela e as Pedras Parideiras. Apesar de ser uma zona com muita afluência turística nos meses de verão, é considerada uma das melhores zonas do litoral norte para observação de aves de montanha.

A serra da Arada tem 20 Km de comprimento e 15 Km de largura, atingindo em S. Pedro do Sul a altitude máxima de 1.057 metros. Serve, em parte, de linha divisória das bacias dos rios Paiva e Vouga. É uma região de grandes contrastes, de relevo áspero e imponente. Ao austero planalto, onde só florescem os matos rasteiros, contrapõem-se os profundos vales encaixados, atapetados de espesso arvoredo, por entre o qual correm rios rebeldes e tumultuosos.


Área classificada total: 28 659ha

Área classificada no território: 28.659ha (100%)

Municípios abrangidos: Arouca, S. Pedro do Sul e Vale de Cambra 

Fauna prioritária: Lobo ibérico.


Fauna protegida:

Salamandra-lusitânica, lagarto-de-água, toupeira-de-água, lontra, sapo-parteiro-comum, sapo-corredor, rã-de-focinho pontiagudo, rã-ibérica, rã-verde ou rã-comum,  tritão marmorado ou tritão-verde, morcego-rato-grande, morcego-de-ferradura-grande, morcego-de-ferradura-pequeno, morcego-de-ferradura-mourisco, morcego-de-água, morcego-de-franja, vaca loura, boga comum e ruivaco.

 

Flora protegida: 

Festuca summilusitana, martelinhos ou pucarinhos, feto-do-botão, anarrhinum longipedicellatum, murbeckiella sousae, campainhas-amarelas, narciso, gilbardeira, pólio ou pólio montano, thymelaea broterana, turfeiras, bosques de amieiros, carvalho-roble, carvalho-negral e azevinhais. 


Habitats prioritários: 

Charnecas húmidas atlânticas temperadas de Erica ciliaris e Erica tetralix, matagais arborescentes de Laurus nobilis, formações herbáceas de Nardus, ricas em espécies, em substratos silicosos das zonas montanas e florestas aluviais de Alnus glutinosa e Fraxinus excelsior.