Pontes, marcos miliários, estradas, balneum e outros legados patrimoniais dos povos romanos

Os povos romanos deixaram no território um valioso legado patrimonial, patente em monumentos e achados arqueológicos de que são exemplos pontes, marcos miliários e troços de vias romanas, testemunhando a dinâmica destes povos numa das áreas em que a sua intervenção foi mais marcante - as ligações viárias. Refira-se, a título de exemplo, um troço da via romana que passa em Manhouce e que ligava Vissaium (Viseu) a Portus Cale (Porto); e a via Romana da Ereira, um troço que pertencia a um ramal secundário da via principal que unia Olissipo (Lisboa) a Bracara (Braga).

Foram também os romanos os responsáveis pela descoberta das singulares propriedades terapêuticas e curativas das águas termais de S. Pedro do Sul e do Carvalhal (em Castro Daire). Reza a História que pela estância Termal de S. Pedro do Sul, considerada atualmente a maior e mais desenvolvida da Península Ibérica, passaram alguns dos nossos monarcas, nomeadamente D. Afonso Henriques, D. Manuel I e D. Amélia.

Em Gestoso, S. Pedro do Sul, existe um curioso exemplar de aqueduto romano e, em Arouca, foram descobertas as ruínas do que aparenta ser um casal agrícola da época romana, testemunhando a ancestralidade da ocupação agrária nos pequenos vales da bacia do Arda. Em Castelo de Paiva merece referência a Pia dos Mouros, túmulo Hispano-Romano localizado nas proximidades da vila de Sobrado, e em Castro Daire foi descoberto um enorme bloco granítico com uma enigmática inscrição romana.